Review: Turma da Mônica – Lições

“Tenho 23 anos e ainda aprendo com a Turma da Mônica”

Qual foi a última grande lição que você recebeu em sua vida? Fiquei me perguntando isso antes, durante e depois da leitura de “Turma da Mônica – Lições”, a oitava Graphic Novel da criação mais famosa de Maurício de Souza, pelo selo da Graphic MSP. A história se passa mais ou menos 1 ano após a “Turma da Mônica: Laços” – ótima HQ, diga-se de passagem – mas é um arco totalmente inédito. Novamente a dupla mineira Vitor Caffagi e Lu Caffagi são os responsáveis por nos apresentar a versão mais “profunda” das crianças mais conhecidas do Brasil. E também novamente o resultado impressiona pela qualidade, sensibilidade e inteligência.

O enredo da HQ é tão simples quanto se esperava, entretanto é tão bem explorado que chega a ser surpreendente os seus desdobramentos. Cebolinha, Mônica, Cascão e Magali, o quarteto de sempre, esquecem de fazer suas lições de casa e são punidos pela diretoria do seu colégio. Mas seus pais também acham que está na hora de mudar o comportamento caótico de seus filhos, então cada um dos casais decide castigar seus filhos. Esses castigos tocam exatamente nas feridas de cada um, mas prefiro não adiantar quais são as medidas tomadas pelos adultos pois acho que esse é o grande turning point da obra. A partir dessas mudanças em suas rotinas é que a turma da mônica percebem que a zona de conforto não existe mais: está na hora de encarar novos desafios.

11407290-824712560930599-5598255231584568344-n_29mqA HQ propõe reflexões e sentimentos já na capa

O que achei mais legal nessa HQ é que ela mistura o universo infantil com o adulto. Exemplo: o “castigo” dado à Cascão parece bobo no início, mas depois eu me peguei pensando “quantos adultos não fogem disso até hoje?”. Ah, e me incluo nessa lista, ok? Alguns dos sentimentos que as crianças apresentam, embora sejam desencadeados por acontecimentos banais, são semelhantes aos que muitos de nós, “gente grande”, sentimos em nosso cotidiano. Ao mesmo tempo, elas mantém algo de infantil: as pequenas porém intensas paixões, os dias que passam tão lentamente que parecem mais anos, as complexas dinâmicas escolares que hoje já nos parecem tão bobas…

1617136-824704080931447-5079935642977171518-o_mfp1Relaxa, a gente não conta

Outro aspecto bacana desse segundo volume da turma da mônica foi a expansão do universo. Enquanto que em “Laços” a história se concentrava mais no quarteto principal e em suas famílias, em “Lições” temos a estreia de alguns outros personagens consagrados, como Xaveco, Ricardinho, Dudu, o simpático gatinho Mingau – embora todos sejam super coadjuvantes. Outras figuras são apenas mencionadas, como a artista Marina – uma das minha quedinhas na infância, devo admitir.

04A turma quando desenhada mais criancinha é tão bonitinha *.*

“Turma da Mônica: Lições” repete o sucesso do seu antecessor com um enredo apaixonante, profundo, arrebatado com uma arte que casa perfeitamente com a proposta da Graphic Novel. Adorei o final da HQ: ele não conclui a história da maneira que esperamos e deixa um gostinho de “quero mais”. Na verdade, nós sempre queremos saber mais sobre essa turma que nos acompanha desde a infância, não é? Divirtam-se, emocionem-se e principalmente APRENDAM com essa história!

demolidor 5

Facebook Comments

Lucas Bastos

Mestre em Comunicação, 7,8 na escala Nerd, fã obsessivo de FMA, Marvel fanboy e defensor da tese de que George Martin é melhor que Tolkien.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *