Review: The Walking Dead: A Ascensão do Governador

“O brilhante nascimento de um dos maiores vilões de nosso século”

Do que é feito um bom vilão? Na minha humilde opinião, uma boa dose de carisma, uma grande história que justifique sua filosofia de vida e algum elemento marcante que o diferencie dos demais personagens da trama. Em “A ascensão do Governador”, descobrimos que Philip Blake tem tudo isso e mais um pouco.

“The Walking Dead: A ascensão do Governador” é um livro baseado na franquia de Robert Kirkman. O quadrinho, lançado em 2003, fez muito sucesso e venceu prêmios como o Eisner Award, em 2010. Além da adaptação para a televisão, através do seriado homônimo produzido pela AMC, a franquia alcançou o mundo dos games e dos livros. O primeiro título é justamente esse que conta a origem de um dos melhores personagens da trama, o Governador, e chegou ao Brasil pelas mãos da editora Galera Record em 2013.

the-walking-dead-a-ascensao-do-governadorA triste capa de “A Ascensão do Governador”

Quem leu o quadrinho, se deparou com esse polêmico personagem logo no início, antes do capítulo 30. Quem acompanha o seriado só o encontrou na terceira temporada. O Governador é o autoproclamado líder de Woodbury, uma pequena cidade que resiste bravamente ao apocalipse zumbi que atingiu o mundo inteiro. Philip Blake, nome pelo qual alguns o chamam, governa a cidade com mão de ferro, promove lutas sádicas entre homens e zumbis e não admite questionamentos ao seu modo de liderar os sobreviventes.

Walking-Dead-Governor-Kill-Them-AllComo chegamos de pai de família a isso? Esse livro explica…

Exatamente por termos conhecimento de como o Governador irá comandar de maneira tão controversa é que torna o livro tão interessante. A obra conta a historia da pequena família Blake tentando sobreviver ao extermínio iminente da humanidade. Philip Blake é um homem forte, corajoso, um líder nato, movido apenas pela necessidade de salvar sua filha de 8 anos, Penny Blake, dos horrores desse mundo pós-apocalíptico. Seu irmão, Brian Blake, é magro, asmático, covarde, ou seja, o pior companheiro possível para enfrentar adversidades tão grandes quanto uma catástrofe mundial. Há outros personagens envolvidos no enredo, cujos quais mostram sua relevância em pontos chaves da trama, mas o foco é sempre na complicada relação entre irmãos tão diferentes.

Philip Blake sempre toma a dianteira em todos os combates e situações arriscadas inerentes a um mundo em que a humanidade praticamente acabou. Brian é um fardo para o grupo, e justamente por ele ter consciência disso e buscar mudar sua situação é que o enredo ganha força. Brian cresce durante o livro, supera seus medos, finalmente torna-se útil e adquire a confiança do irmão. Mas é aí que uma morte trágica acontece e as reviravoltas tornam-se tantas que você não consegue mais parar de ler.

rise-of-governorAh, essa família…que história triste, misericórdia

“A Ascensão do Governador” é leitura obrigatória para qualquer fã de verdade de The Walking Dead. Através dessa obra é possível entender de maneira completa a mente do Governador, entender seus traumas e constatar que a grande conquista da franquia The Walking Dead é mostrar que situações de stress e luta pela sobrevivência são capazes de fazer a pior parte de nós vir à tona.

Facebook Comments

Lucas Bastos

Mestre em Comunicação, 7,8 na escala Nerd, fã obsessivo de FMA, Marvel fanboy e defensor da tese de que George Martin é melhor que Tolkien.

2 comentários em “Review: The Walking Dead: A Ascensão do Governador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *