Os dez melhores filmes de 2017

Melhores Filmes de 2017

Felizmente tivemos muita coisa boa para dificultar uma lista de melhores filmes de 2017

Mais um ano acabando e chega a hora das famosas listas de filmes do ano. Eu não poderia deixar de fazer a minha, uma vez que este ano foi um dos que vi mais coisa (não só de estreia, mas de filmes em maneira geral).

Para essa lista de melhores filmes de 2017 utilizarei os seguintes critérios: 1- O filme deve ter saído no Brasil esse ano. 2- O filme deve ter sido lançado oficialmente esse ano. Infelizmente o meu preferido, La La Land, vai ficar fora, mas os filmes do Oscar já tiveram o seu espaço. Bom, bora para lista!

10) O Filme da minha vida

O filme da minha vida Melhores Filmes de 2017

Começando a lista com essa maravilhosa adaptação da obra de Antonio Skármeta. Infelizmente não vi muitos filmes brasileiros de 2017 (perdi inclusive o clamado Bingo), mas mesmo assim arrumei espaço para inserir uma obra de qualidade do nosso país.

Selton Mello nos entrega um filme sensível, com uma direção que mostra muito amor pelo que está fazendo e sabe escolher os tons corretos durante um longa que mistura romance, comédia e drama na medida certa.

O longa acompanha o jovem Tony Terranova (Johnny Massaro) que precisa lidar com a ausência do pai, que foi embora sem avisar à família e, desde então, não deu mais notícias ao filho. Tony é professor de francês num colégio da cidade, convive com os conflitos dos alunos no início da adolescência e vive o desabrochar do amor. Apaixonado por livros e pelos filmes que vê no cinema da cidade grande, Tony faz do amor, da poesia e do cinema suas grandes razões de viver. Até que a verdade sobre seu pai começa a vir à tona e o obriga a tomar as rédeas de sua vida.

Todo arco de desenvolvimento do protagonista e a maneira como a sua percepção de mundo vai amadurecendo na medida em que a realidade “bate” em sua vida é um trabalho incrível. Além da direção, vale destacar principalmente a direção de arte do filme que trabalha muito bem com as cores e transparece a melancolia que o filme precisa transparecer.

infelizmente, não temos crítica aqui na Drop Hour. Mas indicio o trabalho do PH Santos nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=l6-s6ImLeGE

9) John Wick 2

John Wick 2 Melhores filmes de 2017

Esse eu já havia comentado na minha lista de melhores do primeiro semestre. Ação na medida certa, um trabalho incrível de fotografia e uma montagem de tirar o fôlego. Depois de cair nas graças da crítica no primeiro filme, John Wick 2 veio um pouco mais ambicioso e expandiu aquele universo de assassinos.

O que mais me agrada em John Wick é que ele não tem medo de ser o que é, um filme simples e até cliche. Mas a maneira como é executado e o investimento que ele tem para ação compensão qualquer “falha de roteiro” que o filme possa ter. Keanu Reeves tem uma entrega absurda no filme e as coreografias apresentadas empolgam demais. Das 3 vezes que eu vi o filme, as 3 eu estava na ponta da cadeira vibrando com os tiroteios.

Infelizmente não temos crítica aqui na Drop Hour. Mas indicio a crítica que o Diogo Prado fez! Confira em: https://filmesem5paragrafos.wordpress.com/2017/02/16/john-wick-um-novo-dia-para-matar-2017-2017016/

8) Atômica

Atômica Melhores Filmes de 2017

Seguindo um pouco a linha de John Wick 2, em 2017 também tivemos Atômica. Filme que foi dirigido por parte do grupo do primeiro John Wick. Baseado em uma HQ, o filme mescla espionagem e ação de uma maneira bem realista e empolgante.

Charlieze Theron nos entrega uma personagem de muitas camadas em uma trama envolvente e, embora um pouco confusa, que nos impressiona até o ultimo instante. Atômica está na frente de John Wick nessa lista justamente pelo roteiro melhor trabalhado que eleva o nível do filme que conta também com ótimas cenas de ação e coreografias incríveis.

O contexto da guerra fria e a maneira como o filme retrata Berlim são toques que elevam a qualidade do longa como um todo. Somado aos pontos referentes a ação e a atuação que tivemos, Atômica é um dos melhores filmes de ação do ano.

Confira nossa crítica do filme clicando aqui.

7) Dunkirk

Dunkirk Melhores Filmes de 2017

Apesar da posição “baixa” no ranking, Dunkirk foi o filme que mais gostei de ver no cinema em 2017.  O trabalho de produção desse filme foi o melhor do ano e não vai ser surpresa se ganhar vários prêmios técnicos do Oscar 2018.

No entanto, não é só de técnica que a sétima arte é feita, é preciso emoção e Dunkirk, infelizmente, não emociona como poderia. Embora a intenção de Christopher Nolan seja clara no seu filme e a maneira como filma deixando o inimigo oculto e focando nos “mundanos da guerra” seja algo que prende o espectador, o filme não nos deixa apegados com nada. Por isso, a sensação que fica é que temos um grande relato de guerra, mas que não passa de um documentário falso.

Falando assim pode parecer que não gostei do filme, mas ele é sensacional. O seu “problema” na escolha de roteiro que só prejudica a experiência. Talvez a expectativa tenha sido muita alta e realmente pensei que “O Resgate do soldado Ryan” fosse perder seu posto de melhor filme de guerra, mas não foi desta vez.

Confira nossa crítica do filme clicando aqui.

6) Star Wars: Os Últimos Jedi/ Logan

Logan Melhores Filmes de 2017

Star Wars - Os Últimos Jedi Melhores Filmes de 2017

Sim, estou roubando. Mas sinceramente não conseguiria colocar nenhum dos dois no meu top 5, mas sentia que deveria ter os dois nessa lista e próximos do top 5. Logan e Star Wars, dois filmes que, dada as devidas proporções, tinham a missão de representar um legado. No filme do herói, vemos a despedida de Hugh Jackman por um dos papeis mais icônicos do gênero, em Star Wars, vemos um novo horizonte para a franquia e Ryan Johnson mostrando como o universo de Geoge Lucas pode ser explorado por novas facetas.

Logan mostrou como podemos ter filmes de herói com várias subcamadas e textos mais pesados. A sua censura para menores de 18 não se reflete apenas na carnificina (muito bem inserida), mas na profundidade da sua estória. O arco final de Wolverine nas telonas mostrou o amadurecimento do personagem e como Logan, apesar de ser aquele herói calejado, tem as suas fraquezas e receios. É um filme que utiliza da relação dos seus personagens para criar não só um ótimo filme de herói, mas um dos melhores dramas que vi em 2017.

Já Star Wars: Os Últimos Jedi nos mostrou como o universo criado por George Lucas e a saga dos Skywalkers pode ter novas camadas. Em um filme que brinca com o seu próprio gênero e acrescenta camadas nunca antes vistas dos seus personagens, Os Últimos Jedi trazem uma gama de novas possibilidades para o episódio IX e mostram como Star Wars é muito mais que o bem contra o mal e as camadas de cinza e personagens “quebrados” são elementos fundamentais para o crescimento dessa franquia já consagrada. Além disso, Ryan Johnson nos presenteia com uma das melhores direções da saga e uma equipe de arte que fez um trabalho incrível com uma fotografia ótima e um design de produção que eleva algumas cenas de ação para um novo patamar.

Confira nossa crítica de Logan clicando aqui.

Confira nossa crítica de Star Wars: Os Últimos Jedi clicando aqui.

5) Em Ritmo de Fuga (Baby Driver)

Em Ritmo de Fuga Baby Driver Melhores Filmes de 2017

Finalmente chegamos ao top 5! E para começar a lista dos “grandes cinco” temos Baby Driver, a grande ação do ano, na minha opinião. Um filme que apresenta um ritmo frenético e utiliza de uma montagem incrível para casar ação e música como poucos filmes que eu já vi conseguiram fazer. Edgar Wright conseguiu entregar ao público um filme, que se vendia como mais uma ação barata com carros, que utiliza da música e da ação para aprofundar seu enredo e protagonista.

Acompanhar a história de Baby, um jovem piloto de fuga, e a sua relação com Doc e seus subalternos é uma verdadeira montanha russa. A maneira como o roteiro vai entregando aos poucos novas camadas dos seus protagonistas e o desenvolvimento do relacionamento de Baby e a Debora mostram como uma narrativa pode explorar os seus personagens com ações e não falas enormes. A ação do filme empolga e funciona, mas não gera empolgação por empolgação, o enredo só avança e funciona porque o gênero foi encaixado perfeitamente na proposta frenética do diretor com uma montagem que não pode parar e utiliza da música para trazer novas camadas nas cenas.

Por isso, Baby Drive está entre os meus cinco primeiros. Porque Edgar Wright mostrou ao público como um filme de ação com carros pode sim ser algo além. Ação, personagens, trilha sonora, montagem e fotografia de mais alto nível dialogam e fazem desse filme ser o que é.

Mais um filme que, infelizmente, não temos crítica aqui na Drop Hour. Mas indicio o PH Santos novamente. https://www.youtube.com/watch?v=ry0OHeqU9tQ

4) Blade Runner 2049

Blade Runner 2049 Melhores Filmes de 2017

Vamos sair agora do ritmo frenético de Baby Driver, vamos para o extremo oposto com Blade Runner 2049. Um filme que tinha um peso enorme nas costas por resgatar um clássico do cinema e do seu próprio gênero. Denis Villeneuve revisita o universo que vimos em 1982 e expande seus conceitos de maneira impecável.

Utilizando dos desdobramentos da aventura de Deckard e seu contato com a replicante Rachael, Blade Runner 2049 retoma as discussões filosóficas do longa anterior e aprofunda a reflexão sobre o que é ser humano e o papel da humanidade no futuro e sua prepotência como criadores das máquinas. Todas as discussões estão novamente cobertas por uma história de investigação com momentos de viradas e ação na medida certa. K, interpretado por Ryan Gosling, é um novo personagem que representa o espectador na medida que suas percepções daquele universo são uma mistura de nostalgia e espanto na medida em que as verdades vão se revelando e quebrando algumas verdades que já tínhamos do filmes anterior.

No entanto, o filme não funcionaria se não fosse a direção e a fotografia que apresenta. Villeneuve e Roger Deakins mostram o seu respeito com o material que estão trabalhando e não tem a menor pressa em desenvolver seu trabalho. Enquanto Villeneuve trabalha com um ritmo de narrativa e direção pouco comum para os padrões acelerados que temos, Deakins entrega ao espectador um dos filmes mais bonitos de 2017 com enquadramentos que dariam quadros de museu e pela maneira como utiliza das cores para trazer novas camadas para as cenas.

Confira nossa crítica clicando aqui.

3) Guardiões da Galáxia Vol. 2

Guardiões da Galáxia vol. 2 Melhores Filmes de 2017

Chegamos ao top 3 com o  melhor filme de herói do ano na minha opinião. Guardiões da Galáxia Vol. 2 foi um daqueles filmes que eu saí do cinema já querendo assistir novamente de tão empolgado que estava. James Gunn, com uma aventura bem mais contida, acertou mais uma vez com o grupo mais desajustado do MCU.

Em um filme que não busca expandir o seu universo compartilhado, Gunn trabalha com seus personagens e aumenta a empatia do público com os mesmos. Ainda que tenhamos a ação e a comédia do primeiro filme (esse segundo elemento talvez um pouco acima do tom em alguns momentos), Guardiões 2 é um filme com uma carga dramática enorme. As várias discussões sobre família que o filme apresenta em todos os núcleos e como as diversas resoluções amadurecem seus personagens é um dos melhores trabalhos de roteiro do ano.

Gunn mostrou ao público que sabe trabalhar com os guardiões e que os acertos do primeiro filme do grupo não foram por acaso. Toda a formula que tínhamos no primeiro filme que soube mesclar comédia, ação e uma montagem que usa e abusa de sua trilha sonora é utilizada novamente na sequência, mas que soube adicionar novas camadas mostra que o grupo está em boas mãos.

Confira nossa crítica clicando aqui.

2) mãe!

mãe! Melhores filmes de 2017

Muitos críticos de arte dizem que a boa arte é aquela que causa estranhamento ao seu público, que o confronta e o faz refletir. Eu particularmente concordo com essa opinião e mãe! (sim, em minúsculo mesmo) foi um filme que fez exatamente isso comigo. Com um filme pesado que gera desconforto, raiva e muita agonia no seu público, Daren Aronofsky nos entrega um dos filmes mais complexos que vi até hoje.

Fica difícil falar do filme sem comprometer a experiência de quem ainda não viu, mas o que temos aqui é uma grande reflexão sobre a nossa sociedade sob várias perspectivas e camadas. Aronofsky nos apresenta um roteiro que nos faz refletir e não entrega sua verdadeira proposta de bandeja, precisamos parar e refletir o que estamos vendo para que não pareça algo sem pé nem cabeça. Todo o desenvolvimento e o arco dos protagonistas, interpretados por Jennifer Lawrence e Javier Bardem, e pela casa que vivem (que também é um terceiro protagonista) é algo incrível.

No entanto, não é só no enredo que o filme acerta. As atuações em mais alto nível e a câmera, sempre colada na personagem de Jennifer Lawrence, são os principais responsáveis pelos acertos do filme. Por mais que a premissa seja boa, talvez não causasse o impacto que pretendia sem uma entrega tão grande como a que vemos nesse filme e com a maneira como é filmada, gerando uma confusão genuína no seu público que, pela ótica da mãe, vai descobrindo as novas camadas aos poucos.

Mais um filme que, infelizmente, não temos crítica aqui na Drop Hour. Mas, diferente dos outros filmes, indico que assista antes de ler qualquer crítica ou análise do mesmo. Depois de assistir, recomendo o trabalho do Ricando Rente no Território Nerd que fez uma análise bem detalhada no vídeo do link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=gZVScQudioI e também recomendo a crítica do Pablo Villaça: http://cinemaemcena.cartacapital.com.br/critica/filme/8404/m%C3%A3e

1) Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos A Guerra Melhores Filmes de 2017

E o posto de melhor filme do ano fica com o encerramento da trilogia de Matt Reeves. Planeta dos Macacos: A Guerra por si só já seria uma ótimo filme, mas a maneira como encerra esse arco e todo desenvolvimento que vimos ao longo desses três filmes faz com que esse encerramento suba de nível.

Apesar do título e da franquia que representa, o filme é algo muito além de um filme de ação e é o melhor arco de personagem que tive o prazer de ver em 2017. Cesar, interpretado por captura de movimentos por Andy Serkis, apresenta facetas, temores e aprendizados como poucos personagens no cinema conseguem expressar. Depois de acompanharmos toda a tragetória do símio, vemos como o líder dos macacos está calejado e como a sua experiência de vida e os fantasmas do passado nos atormentam, mas precisam ser confrontados.

Matt Reeves mostra que tem controle do seu filme e trabalha de maneira muito própria para apresentar o seu filme. Assim como em Blade Runner 2049, vemos aqui um ritmo mais lento, mas que deixa claro a sua preocupação na produção do longa. Planeta dos Macacos: A Guerra mostra que um filme blockbuster não precisa seguir as fórmulas sempre e que um trabalho bem estruturado gera grandes frutos.

A ação, talvez o ponto mais fraco do filme, funciona, mas decepciona um espectador desavisado que espera uma guerra em grandes proporções pelo título, mas ainda assim entrega uma guerra que vai além do campo de batalha e usa da mente e moral de ambos os lados.

Confira nossa crítica clicando aqui.

É isso galera, esses foi a minha lista de dez melhores filmes de 2017. E você, concorda com o que tá aqui? Mudaria a ordem de algo? Trocaria algo? Deixa a sua lista de melhores filmes de 2017 aí nos comentário!

Facebook Comments

About Lucas Mizumoto

Professor de japonês, amante de cinema e telespectador de desenho japonês desde que se entende por gente .

View all posts by Lucas Mizumoto →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *