Tier 1: Análise da edição M15

Nos dias 12 e 13 de Julho de 2014 foi realizado o pré-lançamento mundial da Core Set (edição básica) Magic: The Gathering 2015, que vou passar a tratar por M15. Mas decidi que ao invés de escrever unicamente sobre informações gerais, pontos altos, baixos e melhores cards, como faço normalmente, também vou explicar, de uma forma rápida e fácil, o que ocorre quando um novo Core Set é adicionado ao Standard/Padrão (T2), principal formato do jogo e o mais afetado pelo lançamento de novas edições.

M15 foi anunciada em 6 da Janeiro de 2014 pela Wizards of the Coast, com o slogan “Hunt Bigger Game”. Ao exemplo de M13 e M14, que utilizaram como mascotes os Planeswalkers Nicol Bolas e Chandra respectivamente, M15 trará Garruk como personagem principal em sua caça por aquela que o amaldiçoou, Liliana Vess e seu Véu Metálico. Também foi mantida a ideia de abordar, em uma mesma edição, elementos de diversos Planos do Multiverso como Shandalar, Innistrad, Theros, Ravnica e Zendikar. Outra característica que compartilha com uma de suas antecessoras, M13, é o fato de conter cartas multicoloridas, fato fora dos padrões para uma serie básica.

Agora vamos falar um pouco da “estrutura” da coleção. Dos 269 cards de borda preta que compõem a edição, 165 são novos, 101 comuns, 80 incomuns, 53 raros e 15 raras míticas. Além dessa divisão de raridades, há também as versões Premium (Foil) de todos os cards da coleção distribuídas aleatoriamente. Algo que me surpreendeu foi a quantidade de artefatos presentes. São 24 ao todo contando com Cidadela de Aço Negro, que também é um terreno, superando os 23 artefatos de M12. A habilidade temática que retorna na edição é Convocar. Mas essa habilidade não se limita mais as cores Branco e Verde, como originalmente em Ravnica: A Cidade das Guildas, desta vez está presente em todas as cores, incluindo também em alguns artefatos.

As equipes de Conceito Inicial e Design de Jogo têm como líder Aaron Forsythe. Billy Moreno lidera o Design Final e Desenvolvimento. Pela segunda vez na historia de Magic (a primeira em Oitava Edição) uma reformulação gráfica será lançada. As modificações incluem uma ligeira mudança da fonte (começando em M15, a fonte especialmente elaborada chamada de Beleren será utilizada no lugar da atual Matrix Bold), a adição de um selo holográfico no centro da parte inferior de todas as cartas raras e raras míticas, uma borda preta um pouco mais estreita, crédito ao designer de algumas cartas (como em Aggressive Mining) e um redesenho da caixa de informações de coleção na parte inferior de cada carta.

Agora, o que ocorre no Standard/Padrão (T2) com a vinda de M15? Imediatamente nada muda, a não ser a inclusão das novas cartas no formato, e, se por um acaso ocorrer, alguma mudança de regras (as regras vigentes são sempre da última coleção básica). No entanto, esse segundo ponto não deve acontecer (até o momento nada foi anunciado). A partir do lançamento oficial da edição, no dia 18 de Julho, durante o exato período de 2 meses e 7 dias, M14 e M15 estarão sendo ambas válidas no formato Padrão. Viu, não tem mistério nenhum, é simplesmente isso que ocorre todo ano.

Bom pessoal, isso é tudo. Espero que tenham gostado da edição. É uma pena que os eventos de pré-lançamento no Brasil tenham sido adiados para os dias 19 e 20 de Julho, por conta de diversos fatores: Copa do Mundo, alfândega, burocracia, e a falta de prioridade que ainda sofremos, pela própria Wotc, para com eventos deste tipo. Mas, mesmo com esses problemas, aproveitem ao máximo esse evento tão divertido!

Para finalizar, uma dica pra galera de Niterói, São Gonçalo, Rio de janeiro: procurem nosso parceiro, a Legion Card Games, para garantir a sua vaga no evento de pré-release e, futuramente, cartas da edição! Basta entrar em contato pelo perfil www.facebook.com/legioncg e se informar.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *