Opinião: Por que jogar RPG?

Quem tem vontade de jogar um game em um mundo aberto, com liberdade para seu personagem, sem ter que se preocupar com script e ainda ter seus amigos para te ajudar vai adorar o RPG de mesa.

RPG é um jogo de interpretação e narrativa que  não tem vencedores: é como um teatro onde se desenrola incríveis aventuras. Aqui o foco é a historia. Pode ser jogado com 2 a 10 pessoas, sem contar com o mestre ou narrador, a pessoa responsável por conduzir a história – normalmente quando eu narro prefiro entre 4 a 6 pessoas. O narrador é a figura que melhor conhece o cenário do jogo. Os players criam um personagem para si com as características que eles quiserem, determinando sua forma física, seus talentos e até a forma de agir, utilizando uma ficha de papel para preencher as habilidades do personagem. Essa ficha pré-pronta varia de acordo com o sistema de cada RPG.

Os cenários servem para definir a mecânica do jogo, as rolagens de dado, os pontos para montar a ficha dos personagens, dentre outras coisas. Como em uma aventura de RPG sempre existem eventos aleatórios, nem tudo pode ser decidido de forma direta pelo narrador ou jogadores. Para representar a aleatoriedade das partidas da forma mais imparcial possível, no RPG existem regras para definir o sucesso ou fracasso de uma ação. Quando um jogador tenta fazer alguma coisa relativamente complexa, como lutar ou fazer acrobacias, um teste com dados deve ser feito para decidir o sucesso ou fracasso. Cada sistema possui as suas próprias regras, que definem quais números no dado determinam um sucesso ou fracasso em cada jogada. Quanto maior a dificuldade, menor é o número de resultados que levam ao sucesso de uma ação. Isso não depende apenas da dificuldade da tarefa mas também da habilidade do personagem em realizar determinada tarefa.

 Existem cenários muito conhecidos entre o público geek: quem nunca ouviu falar de D&D 3.5? Mas esse é só um de vários outros como o cenário de Vampiro: a máscara ou Trevas, produção brasileira.

rpg 1 rpg 2 rpg 3

Diversos cenários a sua escolha

Depois que é escolhido o modelo das regras o narrador vai criar os seus NPCs. NPCs – ou Non Playable Characthers, ou seja, personagens não jogáveis – são os personagens com os quais os players vão acabar se deparando. O lugar aonde vai se passar a campanha é bastanta variável: pode ser em um mundo fictício e fantástico, um espelho destorcido e sombrio da nossa realidade, um mundo futurista, apocalipse zumbi, 2º guerra mundial, etc. Quem decide isso são os participantes.

É muito bom marcar com os amigos para jogar RPG. São experiências que os jogos de videogame não conseguem até então proporcionar, já que em mesa de RPG o fator surpresa é muito maior, e o companheirismo que surge entre personagens e os próprios jogadores é incrível.

No futuro, pretendo trazer para a Drop Hour algumas histórias que surgem enquanto os dados são rolados! Então, pessoal, juntem os amigos e joguem tembém!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *