Nintendo Switch: 6 excelentes notícias e 1 péssima reveladas na apresentação oficial.

” Quase tudo foram flores na apresentação oficial do Nintendo Switch “

Na madrugada do dia 13 de janeiro (primeira sexta-feira 13 do ano, diga-se de passagem) a Nintendo apresentou “oficialmente” o seu novo console: o Nintendo Switch. Eu digo “oficialmente”, com aspas, porque no ano passado já havia sido lançado um trailer do videogame. Mas agora temos mais informações, detalhes de preços de lançamento, acessórios que virão com o console, line-up do lançamento, outros jogos já confirmados… dentre essa enorme variedade de informações, considerei que existem seis excelentes novidades que deixarão muitos nintendistas e até mesmo não-nintendistas animados. Entretanto, uma informações revelada no evento me deixou preocupado sobre o futuro do console.

Para começar o texto em alto astral, vamos às boas novas trazidas pela Nintendo:

1. “Zelda: Breath of the Wild” vem forte, bonito e cheio de bugigangas para os colecionadores.

Já sabíamos que “Breath of the Wild” seria o carro chefe do Nintendo Swith e que tem potencial para ser o Game of the Year de 2017. Entretanto, me surpreendeu positivamente não só o excelente trailer que finalmente dá ao jogo um jeitão de Zelda – e escrevi mais detalhadamente sobre isso aqui – http://drophour.com.br/2017/01/13/opiniao-breath-of-the-wild-agora-tem-cara-de-zelda/ – mas também a quantidade de itens que acompanharão o game. Ao todo serão cincos amiibos oficiais do game, além das edições especiais do jogo, que virão com moeda especial, mapa, cd de trilha sonora, capa para o Switch e até mesmo um busto da Master Sword!  É ou não é motivo suficiente para quebrar o porquinho e ser feliz? (Ou melhor, quebrar vários porquinhos né, porque essa brincadeira vai custar caro).

Trailer dessa lindeza de jogo

2. “Splatoon 2” – o first person-shooter mais inovador dos últimos anos retorna. 

O Splatoon, no Wii U, é o que eu chamo de típico caso de “peixe grande em um lago pequeno”. Para os que não conhecem, Splatoon é uma espécie de firts person-shooter para crianças. Você controla meninos e meninas lulas que atiram tinta uns nos outros. O time que pintar mais a fase com sua respectiva cor, vence. Junte essas premissas com uma enorme variedade de roupas para costumizar seu personagem, músicas viciantes, fases variadas e armas divertidas e você tem um excelente jogo. Splatoon é o único FPS que realmente trouxe algo novo nos últimos anos e agora, no Switch, poderá desenvolver ainda mais seu potencial. Mais armas, mais fases, talvez mais personagens, novos modos de jogo confirmados (multiplayer local graças a Deus!) e, possivelmente, mais público, porque estou apostando que o Switch vende ao menos mais que o dobro do Wii U.

Agora, mais do que nunca, é só tinta, porrada e bomba. 

3. Parceria Nintendo e SEGA parece mais forte do que nunca

A apresentação oficial do Switch confirmou o que já imaginávamos: Sonic Mania, o lançamento-retrô (!) da SEGA virá para o novo console nintendista. Mas além dessa confirmação, tivemos também o anúncio de que alguns jogos do Neo Genesis, antigo videogame da SEGA, virão para o Virtual Console do Switch! Dentre eles encontram-se Metal Slug e The King of Fighters. Juntando essa informação ao fato de que Sonic tem sido presença certa também em Smash Bros e até recebeu amiibo, fica a impressão de que Nintendo e SEGA estão em sintonia total. E quem ganha com isso somos nós, gamers.

Sonic Mania, só vem, por favor. 

4. Mario Kart 8 Deluxe – e o que isso significa para Smash Bros.

Mario Kart 8 foi um dos grandes games do Nintendo Wii U e foi muito inteligente da parte da Nintendo trazê-lo de volta para o Switch. Assim como Splatoon, o MK 8 Deluxe trará novos personagens (dentre eles destaco positivamente os Inklings), novas fases, novos itens, provavelmente novas brigas com os amiguinhos, etc. Essas adições de personagens e fases a um jogo de sucesso deixa uma porta aberta para que Smash Bros de Wii U também retorne com esses mesmos conteúdos adicionais – e se dessa vez não tivermos Chrom, os Inklings ou um Kingler como personagens jogáveis, eu nem quero.

É um jogo do Mario, mas aviso que só correrei de Link ou Inkling Girl

5. Fire Emblem Warriors

“Fire Emblem” é a franquia da moda da Nintendo. “Fire Emblem: Fates” foi lançado em três versões – e você pode conferir minha crítica sobre todas elas nesse link http://drophour.com.br/2017/01/09/critica-fire-emblem-fates-birthright-conquest-revelations/. Um game de celular vem sendo desenvolvido, são ao todo seis personagens da franquia no roster de Smash Bros e daqui a pouco até rolo de papel higiênico com a cara do Ike deve sair, se bobear. Então não chega a ser surpresa a Koei Tecmo Games se interessar em fazer um “Fire Emblem Warriors“. O Hyrule Warriors, versão Zeldaniana dos clássicos games de pancadaria insana Dinasty Warriors, vendeu satisfatoriamente no Wii U e conquistou muitos fãs. A expectativa é que Fire Emblem Warriors repita o sucesso e, principalmente, apresente o universo da franquia a novos jogadores. Estou ansioso para descer a porrada com Robin, Lucina e ele mesmo, Chrom, agora também nesse game.

Chrom confirmed – CHUPA SMASH BROS!

6. Os third-partie games estão aqui – ainda que timidamente. 

FIFA e Skyrim: Legendary Edition foram confirmados para o Swith. Além dos jogos em si, o fato de duas empresas grandes como a Bethesda e a EA estarem apostando – ainda que talvez timidamente – no novo console é algo animador. O Wii U afundou não por falta de qualidade dos seus exclusivos, mas sim pela falta de jogos de outras empresas. FIFA e Skyrim no Switch significa que outros targets agora tem motivos para comprar o console. E que venham mais games do tipo, pois a Nintendo agradece!

Olê olê olê olê olá, Fifaaaaa, Fifaaaaa

E agora vamos à nota negativa dessa apresentação:

1. Serviços online agora serão pagos 

Ainda que a Nintendo tenha justificado dizendo que a mensalidade do programa de assinatura online te trará diversos benefícios, tais como descontos e até mesmo 1 game de Super Nintendo ou Nintendinho por mês, não consigo ver esse anúncio sem pessimismo. Um dos motivos pelos quais o Wii U se diferenciava positivamente do ps4 e Xbox One era sua jogabilidade online ser gratuita. Agora, infelizmente, parece que isso acabou. Será esse um sinal dos novos tempos – a manutenção dos servidores é cara demais, talvez? – ou simplesment a gigante japonesa quer mais um pouco do nosso dinheiro?

Esses foram os meus destaques (positivos e negativos) sobre o que a Nintendo anunciou hoje. Para mais informações e claro, opiniões nossas sobre o Switch, fique ligado na Drop Hour!

Facebook Comments

Lucas Bastos

Mestre em Comunicação, 7,8 na escala Nerd, fã obsessivo de FMA, Marvel fanboy e defensor da tese de que George Martin é melhor que Tolkien.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *