Senhor dos Anéis e a Nova Zelândia: uma visita aos estúdios Weta em Wellington. 

 

Saudações Drop Hour! Aqui é o Daniel Guerra, camarada dos redatores que mora na Terra Média e foi fazer uma visita ao centro deste território. Estou aqui como convidado hoje pra contar como foi essa aventura aos estúdios Weta, responsáveis por O Senhor dos Anéis e diversos outros filmes.

A Nova Zelândia é um país pequeno e jovem mas com muito potencial. Aqui temos praia e neve, montanha e floresta, rios e cavernas, vulcões e cachoeiras tudo num espaço equivalente ao estado do Tocantins. Todos esses cenários próximos um do outro somados a um dólar barato acabaram impulsionando muitas produções audiovisuais estrangeiras a serem rodadas no país, desenvolvendo assim a indústria cinematográfica neozelandesa e abrindo espaço para produções locais. Foram filmados aqui grandes filmes como “O Ultimo Samurai”, “Avatar”, “As Crônicas de Nárnia” e as últimas, sei lá, 16 temporadas de Power Rangers. Mesmo com todas essas produções no currículo, a joia do coroa é a trilogia Senhor dos Anéis e O Hobbit, ambas dirigidas pelo diretor neozelandês Peter Jackson.

Weta Cave em Miramar, Wellington.

 

Fundada pelo Peter Jackson em 1993, a Weta Digital conta hoje com seis Oscar de Melhores Efeitos Especiais: Senhor dos Anéis 1, 2 e 3, Avatar, King Kong e Mogli. Além da Weta Digital o grupo de estúdios também conta com a Weta Workshop que produz props físicas para os filmes tais como armaduras, armas, próteses, animatronics e cenários. Completando o grupo temos ainda a Weta Productions, Weta Collectibles e a Park Road Post Production.

Trolls na entrada da Weta Cave. Todos esculpidos por artistas da Weta Workshop.

 

 

A Weta Cave é o único espaço aberto ao público. A Cave é o ponto de partida para o tour da Weta Workshop e também a loja que vende todos os produtos colecionáveis relacionados às franquias produzidas pelo estúdio.

Museu de colecionáveis de Senhor dos Anéis. Figures, bustos e mais; todos produzidos pela Weta Workshop.

O tour sai pela bagatela de $25 dólares neozelandeses, algo em torno de R$55 e dura quase uma hora. Infelizmente no tour não pode tirar fotos pois as peças são protegidas por direitos autorais e algumas fazem parte de produções da Disney e da Marvel.

O tour começa apresentando armas produzidas para o filme “Distrito 9”, produzido pelo Peter Jackson. A maioria das peças são conceituadas no Photoshop ou algum outro software de ilustração digital e então vão para o Maya ou ZBrush onde são esculpidas e modeladas em 3D para serem impressas.  Moldes de MDF são gerados a partir dos modelos originais para servirem de base para uma produção em alta escala de props de silicone e outros materiais mais maleáveis antes de irem para o processo de pintura. Depois que as peças estão refinadas e pintadas, elas vão pro set aparecer em frente às câmeras. Esse processo vale tanto para as armas de fogo do “Distrito 9” quanto para espadas, machados, escudos e armaduras do Senhor dos Anéis.

Na seção de próteses somos apresentados a diversos pés e pernas de hobbit, barbas de anão e cabeças de ovelhas zumbi (do filme “Black Sheep”, um filme neozelandês de terror; recomendo!!). O departamento de próteses é responsável por fazer os hobbits parecerem hobbits e os anões parecerem anões. Eles criam todas as partes dos personagens milimetricamente produzidas para servirem exclusivamente aos atores que as usam.

Veja o trabalho que dá nesse comparativo atemporal entre o John Rhys-Davies e o seu personagem Gilmi na franquia do Senhor dos Anéis. O cara é até mais alto!

Existe uma extensão no tour para visitar os sets em miniatura de Thunderbirds mas essa parte eu pulei fora porque era mais caro, HUE. De volta na Weta Cave agora podemos ver com calma os itens à venda. Colecionáveis, roupas, livros e displays de vários personagens e filmes lotam a loja com preços que vão de $10 por um ímã de geladeira , passando por uma escultura em tamanho real do Gollum orçada em $4200 dólares neozelandeses até o item mais caro da loja que você confere no vídeo abaixo:

Para os fanáticos de Senhor dos Anéis, os estúdios Weta não são tudo o que a Nova Zelândia tem a oferecer. Existem outros tours em Wellington (capital da NZ) que duram um dia inteiro e visitam locações onde rodaram o filme. O guia apresenta as cenas na van antes de chegar no local pra poder refrescar a memória e aí você pisa no lugar onde rodaram a batalha de Helm’s Deep por exemplo. Não bastando existe ainda Hobbiton, uma fazenda de ovelhas em Matamata onde Peter Jackson construiu O CONDADO para rodar em todos os 6 filmes. Sim, ele construiu o Condado todo, não era CGI.

Ônibus do tour de Hobbiton. A locação fica dentro de propriedade privada e o acesso é feito pela empresa de turismo do local.

Esse tour especificamente tem que ser feito com uma empresa de turismo e pode custar entre $115 e $140 dólares neozelandeses dependendo da empresa que você contrata e todos eles saem de Auckland, maior cidade do país.

Hobbiton oferece não apenas os cenários épicos do Condado como a casa do Bilbo, o Green Dragon pub e a Party Tree mas também a Sobering: cerveja desenvolvida e produzida exclusivamente para as filmagens e que só foi comercializada depois do lançamento dos três primeiros filmes. Como tem muitas cenas em que os personagens bebem cerveja e cada take é repetido diversas vezes era claro que alguém ia ficar bêbado… mas não de Sobering, já que ela tem apenas 1% de teor alcoólico.

 

Garrafa de 355ml da Sobering, Stout produzida para as filmagens do Senhor dos Anéis.

Eu visitei Hobbiton em 2011 uma semana antes de começarem a filmar a trilogia do Hobbit, ou seja, podia tirar fotos mas não podia postar nada até o lançamento do filme.  Além do passeio pela vila dos Hobbits o tour também tem o passeio pela parte de fazenda onde se assiste um cara tosar uma ovelha em menos de 30 segundos e você também pode dar comida pra elas. Yay! A lojinha do Condado não tem tanta coisa como a Weta Cave mas lá você pode comprar o Um Anel de ouro 24K com as inscrições e a corrente de prata pela bagatela de $5300 dólares neozelandeses.

Esse sou eu novinho em 2011 visitando a casa do Bilbo Baggins em Hobitton.

Para finalizar, duas historinhas rápidas sobre essas viagens: 1) quando visitei Hobitton naquela época a guia do meu grupo contou um caso sobre o Um Anel da loja. Um árabe muito fã da saga comprou o Anel e sobrevoou de helicóptero o parque nacional de Tongariro, mais conhecido como MORDOR, aí ele jogou o anel lá de cima porque sim. Até hoje grupos de fãs fazem expedições em Tongariro pra procurar pelo Anel que o rapaz jogou. 2) Eu visitei a Park Road Post Production pra procurar emprego na real e acabei nem passando da recepção. A segurança me mandou sair porque estavam com um projeto novo rodando lá. Beleza, eu saí e tirei essa foto:

No dia seguinte quando fiz o tour da Weta Cave a guia bem apontou pra esse carro vermelho estacionado aí no prédio e manda: “aquele Tesla vermelho é do Peter Jackson, ele tá aí trabalhando na finalização do próximo filme dele “Mortal Engines”. Eu estava no mesmo prédio que o Peter Jackson e nem esbarrei com ele pra tirar uma selfie #chateado.

É isso aí, agradeço aos manos do Drop Hour por abrir o espaço e espero em breve poder estar retornando com mais tretas sobre a Terra Média.


Daniel Guerra é natural de Niterói no RJ e hoje vive em Auckland na Nova Zelândia onde estuda animação 3D e bebe cerveja de qualidade a preço de banana. Kia Ora!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Curta a nossa fanpage! https://www.facebook.com/realdrophour/

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *