Review: Homem-Formiga

“A grandeza de um filme que não se leva a sério”

Até mesmo o maior dos homens apequena-se quando não exibe traços de humildade. Então se os grandes necessitam manter a modéstia, eu que sou tão menos importante devo fazer o mesmo. Quando surgiram os boatos de que um filme do “Homem-Formiga” viria a ser produzido pela Marvel Studios, eu torci o nariz imediatamente. Quando confirmaram o lançamento, eu chiei. Quando saiu o primeiro trailer, demorei dias para ver, ainda em protesto. PORQUE lançar um longa desse herói entediante, com poderes tão bobos e sem apelo para a grande massa que lê quadrinhos da Casa das Ideias? A verdade é que após sair da sessão de estreia, ainda não sei porque resolveram lançar essa joça. Mas que bom que o fizeram, porque ficou legal demais.

Caso você esteja se sentindo mal por não conhecer o Homem-Formiga…relaxa, é normal. Ele realmente é importante para os quadrinhos, não me entendam mal: ele ajudou a fundar os Vingadores, criou Ultron por acidente, seu relacionamento conturbado com sua mulher, a Vespa – com direito à histórico de violência doméstica – trouxe grandes debates para os quadrinhos… Mas ele simplesmente não é tão famoso quanto Capitão América, Thor, Homem de Ferro, etc. O próprio nome não ajuda: dá para levar a sério um super-herói chamado HOMEM-FORMIGA?

antmanposterlargeO brilhante primeiro pôster oficial do longa

Não, não dá. Mesmo. E essa foi a sacada genial da Marvel ao escrever o roteiro desse filme: tirar toda a carga épica já embutida com cada longa super-heróico. Vamos a um minúsculo – sem trocadilhos – resumo do enredo: Hank Pym (interpretado pelo grande Michael Douglas), o Homem-Formiga original, desenvolve as Partículas Pym, que o fazem diminuir de tamanho. Aparentemente, em seu tempo livre ele também aprendeu a comandar formigas. Mas Hank percebeu que o seu trabalho seria perigoso demais se caísse em mãos erradas, então o escondeu. Infelizmente seu pupilo, Darren Cross, o encontra e continua a pesquisa, desenvolvendo o protótipo Jaqueta Amarela – é, isso mesmo que você leu. Então a saída de Hank é praticamente abduzir e obrigar Scott Lang (Paul Rudd), um ex-presidiário de bom coração a ajudá-lo a roubar o protótipo e destruir sua própria tecnologia.

07-antman-douglas.w529.h352.2xOs anos – e o Michael Douglas – fizeram bem à Hank Pym

Parece louco, não é? Sim, é. É impossível não se perguntar durante o filme “ok, isso é realmente tão importante assim? Qual o problema de ter uns caras encolhendo por aí?”. Mas esse roteiro torna-se convincente porque nunca propõe ser algo realmente complexo e de proporções globais. As crises mundias ficam para os Vingadores; os grandes encontros sombrios e batalhas mortais que fiquem do lado da DC Comics; o “Homem-Formiga” só quer te lembrar o quanto um filme de super-herói pode ser divertido e surpreendente. E ele consegue.

53d2a7deda938Diga-me, você voa em cima de formigas? Você voará.

Adorei todas as adaptações feitas aos quadrinhos originais. Eu me questionava qual seria a importância de Hank Pym na trama, já que todas suas grandes realizações foram surrupiadas por outros personagens no universo cinematográfico da Marvel, mas ao fim do filme percebi que minha própria dúvida era injusta. Quem disse que ele deveria ser afinal um dos pilares dessa história toda? Ele foi só um cientista brilhante com alguns problemas a resolver, e pronto (pelo menos até o momento, né). Janet Pym aparece apenas em uma cena, mas isso tem uma explicação convincente. A clássica Vespa dá lugar a sua filha, Hope Van Dyne (Evangeline Lilly), que apresenta muitas semelhanças com sua mãe, tanto físicas quanto psicológicas. Scott Lang foi o mais fiel à sua figura original, o que achei ótimo pois considero o personagem carismático.

4551768-6290241984-ant-mA estilosa e durona Hope Van Dyne

Farei uma observação especial sobre o vilão do filme. O ex-pupilo e atual maligno dono de empresa Darren Cross, cumpre bem o seu papel de antagonista sem escrúpulos, obcecado por dinheiro e poder, etc. Mas achei que Darren (interpretado por Corey Stoll, o “Peter Russo” de House of Cards) foi mais além: ele herdou um pouco da personalidade do Ultron original. Nos quadrinhos, a inteligência artificial homicida e assemelha-se a um filho renegado que tenta conquistar a atenção e o respeito do pai – na porrada, diga-se de passagem. Achei bacana a Marvel explorar esse plot já que, afinal, não é porque Ultron já foi usado que vamos esquecer essa história toda, né?

watch-marvel-debut-s-full-ant-man-trailer-1105316-TwoByOneEsse Jaquete Amarela (risos aqui) está badass suficiente pra você?

Uma observação bem rápida, mesmo: POR FAVOR PRESTEM ATENÇÃO NOS COADJUVANTES! O filme tem poucos personagens, principalmente se comparados ao elenco que nos espera em “Capitão América: Guerra Civil”. Mas isso ajudou a cada um desenvolver sua própria personalidade e cativar o público. Cabe um destaque especial a Luís, o latino ladrão tagarela interpretado por Michael Penã. Suas cenas são de chorar de rir! Robert Downey Jr. é um velho ranzinza perto desse cara.

Olho nele, minha gente!

Outro mérito do filme são as inteligentes cenas de ação. A maioria delas obviamente ocorrem enquanto Scott Lang está em tamanho miniatura, o que deu a oportunidade à equipe do filme de criar ambientes e situações tão inesperadas quanto ridículas. O confronto contra o vilão – uma das poucas lutas reais ocorridas no longa, diga-se de passagem – intercala tomadas sérias e tensas com takes que mostram o quão patéticas são as consequências do embate.

20823568_antman-proof-of-concept-1280As mudanças de tamanho do Homem-Formiga ficaram simples e bacanas de se ver

Claro que nem tudo são flores, então cabe apontar alguns defeitos. Achei que o filme demora a finalmente engrenar: a primeira meia hora é destinada a introdução dos antecedentes dos personagens, apresentação da vida mais ou menos de Cassie, a atual aposentadoria de Hank Pym, etc. Por mais que isso tudo ajude a construir empatia entre personagens e espectador e ambiente bem a história, achei tudo muito arrastado. Em certos momentos o enredo parece um pouco “forçado”, fazendo com que certos personagens cheguem a determinados locais sem muita explicação. Além disso, como em quase todo filme recente da Marvel, fica a sensação de que tudo poderia ter se resolvido de maneiras mais simples e rápidas.

“Homem-Formiga” não é o melhor filme da Marvel, mas não porque fique devendo em qualidade, mas porque simplesmente não tentou ser. Desde o começo é perceptível que o próprio não se leva a sério, optando por divertir e surpreender o espectador em vez de tentar convencê-lo de que é um épico do cinema super-heróico. Vá aos cinemas de mente aberta e pronto para um grande filme de humor de um pequeno bravo super-herói. Garanto que você não vai se decepcionar com o resultado.

90

Facebook Comments

Lucas Bastos

Mestre em Comunicação, 7,8 na escala Nerd, fã obsessivo de FMA, Marvel fanboy e defensor da tese de que George Martin é melhor que Tolkien.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *