Review: Game of Thrones – Sexta temporada

Depois de uma quinta temporada que dividiu muitos fãs, Dan Weiss e David Benioff tinham uma grande missão em mãos, retomar o sucesso de Game of Thrones a partir do zero. Em uma temporada com conteúdo totalmente inédito (é Martin, a TV te passou), a sexta temporada da série da HBO conseguiu retomar toda a qualidade que a série prometia aos fãs.

Tendo uma maior liberdade criativa, Weiss e Benioff começaram a encaminhar a adaptação das Crônicas de Gelo e Fogo para o seu final e por isso não fizeram cerimônia em avançar boa parte do enredo nesse sexto ano. Com muitas mortes, reviravoltas e revelações, os diretores confirmaram muitas teorias dos fãs e trouxeram informações que os livros só sugeriam até então.

Com o cuidado de fechar alguns dos seus arcos principais, a produção acaba dando foco em poucos núcleos durante essa temporada. Meereen, o Norte e Porto Real são os grandes destaques desde o primeiro episódio. Avançando em passos largos, as tramas apresentadas durante esses dez episódios se resolvem de maneira convincente. Nesse sexto ano é perceptível o foco nos reais candidatos ao trono de ferro.

Cersei Lannister (Lena Headey), Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) e Jon Snow (Kit Harrington) se destacam e protagonizam algumas das cenas mais bem feitas na televisão. Os dois últimos episódios em especial foram um show a parte. Com cenas muito bem feitas e uma batalha de grandes proporções, “The Battle of the Bastards” e “The Winds of Winter” foram os pontos altos desse sexto ano. Vale ressaltar a tão aguardada vinda de Daenerys para Westeros. A mãe dos dragões finalmente reuniu tudo que precisava para reivindicar o seu trono e promete vir com tudo no próximo ano da série.

Outro grande acerto dessa temporada foram os destaques dos irmãos Starks: Bran (Isaac Hempstead-Wright), Arya (Maisie Williams) e Sansa (Sophie Turner). Apesar de terem papeis distintos, tudo indica que eles serão cruciais para a trama final. Enquanto o jovem warg trouxe revelações, através de flashbacks, que deixaram fãs ainda mais animados, Arya finalmente começou sua vingança e Sansa, que por muito tempo foi considerada a mais inútil dos Starks, finalmente entendeu como jogo dos tronos funciona e vem para ser uma forte aliada de Jon Snow, ainda que precisem lidar com Mindinho (Aidan Gillen) futuramente.

No entanto, alguns erros ainda persistem nessa temporada. Dorne continua sendo um arco sofrível de se assistir e seus personagens estão cada vez mais descaracterizados. A morte de Doran Martell (Alexander Siddig) é uma cena muito mal feita e pouco explicada. Os Greyjoy, que finalmente voltaram as telas, tiveram uma participação interessante por parte dos irmãos Theon e Yara, mas Euron foi uma decepção para os fãs dos livros. Além disso, a maneira como alguns personagens praticamente teleportam acaba incomodando um pouco.

No geral, a sexta temporada de Game of Thrones entregou aos fãs muito do que era esperado. Com diversas teorias sendo concretizadas e com a trama principal rumando para o seu final, a série da HBO teve uma das suas melhores temporadas até o momento. Resta saber se os diretores conseguiram manter esse nível das duas próximas (e prováveis ultimas) temporadas.

 

Facebook Comments

Mizumoto

Estudante de letras: português-japonês, amante de cinema e telespectador de desenho japonês desde que se entende por gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *