Animais Fantásticos será o melhor filme da franquia Harry Potter?

Para a alegria dos fãs de Harry Potter, em 2016 teremos o primeiro spin-off da série do bruxo mais famoso da Inglaterra! A expectativa para esse filme é enorme e, ao meu ver, muito bem fundamentada. Nesse texto darei 4 motivos que me fazem acreditar que “Animais fantásticos e Onde Habitam” tem tudo para ser o melhor filme do universo bruxo de J.K Rowling até o presente momento. Bora lá?

1- Uma nova ambientação

Bom, para quem não sabe, o filme se passará nos Estados Unidos, mais especificamente na época pré Lei Seca Americana. Esse foi um período conturbado na história do país e, ao que tudo indica, o problema dos trouxas (ou no magic, como os bruxos americanos chamam os sem magia) afetará de certa forma as aventuras do jovem Newt Scamander. Além disso, será uma oportunidade de ver a expansão do mundo bruxo para além da Inglaterra o que pode ser muito interessante já que J.K Rowling deixou clara diferenças substanciais do uso da magia em cada local do mundo.

Eu particularmente gosto muito de ambientações mais elaboradas e sentia falta disso nos filmes de Harry Potter, principalmente por saber que essa ambientação estava lá nos livros e simplesmente cortavam no cinema (é Hermione, eu realmente torcia a favor da sua luta pelos elfos domésticos). No entanto, depois de ler os contos mais recentes da J.K Rowling e assistir o ultimo trailer do filme, eu realmente estou confiante para esse possível aprofundamento do cenário e para um crescimento mútuo do personagem de Eddie Redmayne e esse novo mundo bruxo que será apresentado.

2- Uma possível visão mais adulta

O mundo mágico de Rowling tem como premissa ser uma narrativa para crianças e adolescentes, no entanto, muitos dos seus fãs já passaram dessa faixa e, embora levem as histórias com muito carinho, podem querer algo a mais nessa nova fase. Eu particularmente sou um desses fãs e pelo que vi até agora no contos publicadas e nas notícias do filme, a autora também entende a necessidade de amadurecer sua obra.

Alguns dos motivos que me fazem acreditar que teremos uma visão mais “séria” nesse spin-off são a ambientação que disse anteriormente, o fato de termos um protagonista adulto e a gama de personagens apresentados até o momento. Por mais que Harry Potter mostrasse a gravidade das ações dos protagonistas (oras, no ultimo livro morre gente em quase todo capítulo), suas histórias estavam presas a escola, o mal caricaturado na figura de Voldemort e só. Isso é ruim? De maneira alguma! Mas acredito que Newt poderá me mostrar como é a vida adulta dos bruxos e a gravidade dos seus poderes sendo “uma pessoa que responde pelo seus atos”.

No entanto, não vá esperando um Game of Thrones da vida. Ainda é uma obra para adolescentes, mas espero ver algo com mais consequências para o mundo e mais responsabilidades sendo postas em debate.

3- Os animais fantásticos

Falando em consequência dos seus atos, Scamander já chega nos EUA passando por isso ao deixar os animais escaparem. Animais esses que, como o título já sugere, terão uma importância crucial para o filme. Até aqui nenhuma novidade, mas porque então considera-los um motivo para o filme ser tão bom? Bem, 2016, efeitos visuais, 3D… entende onde quero chegar?

Um filme bom não é só enredo, um filme bom também depende de uma boa experiência visual e é aí que os animais entram como um possível destaque. Se a Warner souber trabalhar bem com os efeitos especiais, teremos aqui uma rica experiência visual que mistura o lúdico que J.K Rowling propõe com a magia do cinema. Eu quero sim ver a expansão do universo de Harry Potter, mas também quero ver um filme que me impressione visualmente e que me traga animais, bem, fantásticos.

4- Não ter o Harry

“O QUE? COMO ASSIM VOCÊ ACHA QUE NÃO TER HARRY POTTER PODE FAZER DESSE FILME MELHOR?” Calma que eu explico. Não ter o Harry, ao meu ver, é o principal motivo da expansão de universo que esse filme pode apresentar.

Estamos falando de um preludio, um mundo sem o Lorde das Trevas, um mundo bruxo “que está dando certo” e que ainda não passou pela crise que o jovem da profecia teve que restaurar. O fato de não termos Potter aqui permite que a história tome rumos mais livres e nos mostre o mundo bruxo de verdade, o mundo além dos alunos e professores de Hogwarts. Poderemos finalmente ver as profissões do mundo bruxo, feitiços que não foram apresentados quase exclusivamente pro enredo andar (Patrono é legal, mas chega né?), história de certos bruxos que só foram citados (sim Grindelwald, to apostando que você vá aparecer) e muito mais!

Só com essa mudança de protagonista os roteiristas conseguiram fazer uma história 50 anos antes e num país de outro continente! O testa rachada é o responsável por nos apresentar esse mundo maravilhoso? Sim! Mas, as coisas A.H (antes de Harry) parecem ser bem interessantes também.

Bom pessoal esses foram alguns dos motivos que me estão me fazendo ficar cada vez mais ansioso por “Animais fantásticos e onde habitam”. E aí, concorda? Acha que tem algum motivo diferente? Ou acha que os 8 filmes anteriores são insuperáveis? Deixa aí nos comentários o que pensa!

Facebook Comments

Mizumoto

Estudante de letras: português-japonês, amante de cinema e telespectador de desenho japonês desde que se entende por gente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *