“Reylo” NÃO é uma boa ideia

A força não está com esse casal

A nova trilogia de Star Wars pode não ser uma unanimidade entre os fãs, mas certamente rende muito debate. E um dos tópicos de discussão mais frequentes é um relacionamento que ainda nem aconteceu. Reylo, o famoso shipp entre Kylo Ren e Rey divide opiniões. De um lado, existem os fãs mais apaixonados, defensores dessa união, que fortalecem essa posição com fanarts, fanfics, prints de diálogos e cenas nas quais os protagonistas aparecem juntos. Do outro estão aqueles que se arrepiam só de pensar na ideia e pensam que é a pior coisa que poderia acontecer no próximo filme. Embora não consiga me identificar plenamente com nenhuma das posições, sou obrigado a dizer: não acho uma boa ideia. Vamos entender o porquê.

Mais Kylo e Rey, menos Reylo

Rey e Kylo carregam a responsabilidade de protagonizar essa nova trilogia de Star Wars. Entretanto, a meu ver, ambos os personagens ainda precisam crescer um pouco. Existe potencial nas duas figuras. A construção de suas personalidades já foi feita, sua história foi contada (ao menos parcialmente), já conhecemos seus objetivos… mas ainda falta chegar ao ápice. E eu penso que eles devam fazer isso separadamente.

Kylo Ren, a meu ver, é o mais problemático nesse quesito. Após matar Snoke, Kylo agora tem a faca e o queijo na mão para tornar-se o grande vilão do Episódio IX. Então imagina se no filme que ele pode liberar todo o seu potencial como representante do lado sombrio da força ele se apaixona perdidamente pela Rey e ela consegue trazê-lo para o lado luminoso. Eu ficaria decepcionado, com a sensação de que o personagem teria sido desperdiçado.

Agora pensemos na Rey. Ela é a última Jedi. Tudo que pensávamos que o Luke Skylwaker havia se tornado pós-episódio VI – sábio, centrado, um defensor da Força – ela pode tornar-se. Especialmente se tivermos uma passagem de tempo entre episódios, a expectativa é que ela assuma essa função. Então já pensou se ela quebra o código Jedi, assume um relacionamento com Kylo e a personagem se resume à “mulher do Kylo”? Ou pior: se ela sucumbe ao lado negro da Força de maneira semelhante ao Anakin?  Boa parte da construção da personagem nos filmes anteriores se mostraria inútil para o desfecho da trilogia.

Universo Expandido estrangulado

Quem acompanha o novo universo expandido de Star Wars já percebeu que a Disney ainda não produziu muito material relativo a essa nova trilogia. A expectativa é que pouco tempo antes do lançamento do episódio IX comecemos a encontrar mais HQs, livros e outros títulos relacionados a esse período. Kylo e Rey naturalmente devem ser aproveitados pelos autores que assumirão essas obras, então penso que essas pessoas devem ter bastante liberdade para construírem suas histórias. Liberdade criativa essa que pode ser um pouco “estrangulada” pela oficialização de “Reylo”.

Podemos ter muitos livros e HQs que se passem antes do episódio IX (especialmente se rolar esse timeskip). Se Reylo for uma realidade e estiver sendo preparado para o próximo filme, então naturalmente teremos que ter algum indício disso nessas histórias. Não necessariamente um encontro físico, um beijo, nada do tipo, mas reflexões de um personagem sobre o outro, sonhos, etc. Além de uma “obrigação” imposta ao desenvolvimento das personagens por outro autor, isso ainda implica em possíveis spoilers para o filme.

Será que algum dos autores fará Rey pensar nessa cena? (Espero que não)

Com quem será que a Rey vai casar?

Esse é um tópico muito delicado. Em minhas leituras de grupos e fóruns de discussão entre fãs de Star Wars, tenho acompanhado uma tendência de shippar a Rey com muitos personagens. Rey e Finn. Rey e Poe Dameron. Rey e Kylo. Se a Almirante Holdo estivesse viva, ela poderia ser a próxima da lista. E todos esses possíveis relacionamentos sempre “bem fundamentados” com fanarts, prints de cenas dos filmes, etc. A impressão que tenho, ao observar essa tendência, é que no próximo filme só queremos saber com quem a Rey vai namorar. E me desculpem, mas isso é o que menos importará no Episódio IX.

A Rey, como já lembrei, é a última Jedi. Ela será a protagonista de um filme que pode ser o maior Star Wars de todos os tempos. É uma das mulheres mais fortes de todo o universo expandido da franquia até hoje. A primeira mulher a estrelar uma das maiores sagas do cinema mundial. Ela NÃO precisa de um parceiro – ou parceira, ou droide, enfim – para tornar-se uma personagem completa ou mais interessante. Se ao final do filme ela realmente encontrar alguém especial e acontecer um relacionamento (bem construído, assim espero) tudo bem. Mas ela não PRECISA disso. Rey é muito forte e tem muito potencial para fazer história… sozinha.

Esse mulherão não precisa de um namorado, só de paz na galáxia mesmo.

Conclusão

O romance faz parte da história de Star Wars. Dizer que amor e paixão não fazem parte da franquia é ignorar, por exemplo, um dos casais mais icônicos da história do cinema: Han Solo e Leia. Mas ao que tudo indica, Rey e Kylo Ren parecem estar destinados a ocupar papéis muito maiores do que o de parceiro ou parceira do outro. Se o polêmico Reylo se confirmar no episódio IX, eu espero que a construção desse relacionamento seja a menos forçada possível e que respeite o potencial das duas personagens. E você, o que acha dessa história de “Reylo”? Deixe a sua opinião!

Curta a nossa fanpage!

Facebook Comments

About Lucas Bastos

Mestre em Comunicação, 7,8 na escala Nerd, fã obsessivo de FMA, Marvel fanboy e defensor da tese de que George Martin é melhor que Tolkien.

View all posts by Lucas Bastos →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *