Primeiras Impressões: Triage X (Anime)

“Peitos e mais peitos com um toque de ação”

A temporada de outono de animes desse ano trouxe pouca coisa aproveitável na minha opinião, e Triage X passava bem longe da minha lista para assistir. O autor é o mesmo de High School of the Dead (Shouji Sato), então vocês já sabem muito bem o que vem por aí: muitos peitos grátis na tela e ação desenfreada. Mesmo já sabendo da receita de bolo, o que me levou a assistir os dois primeiros episódios foi a sinopse.

Na história temos o Hospital Geral Mochizuki, que funciona como base pra uma organização secreta chamada Black Label. Ela treina as melhores enfermeiras para combater doenças diversas. Mas nas horas livres, elas combatem um outro tipo de doença… Liderados pelo diretor do hospital, Masamune Mochizuki, as enfermeiras e alguns estudantes formam um grupo de assassinos que lidam com os “tumores” da sociedade. Entenda-se aqui como tumores os criminosos que as autoridades não conseguem prender ou julgar. Assim cabe ao grupo eliminar esses criminosos para que não se espalhem pela cidade.

No final, tudo acaba em explosão.
No final, tudo acaba em explosão.

O enredo tem um certo potencial, mas o ecchi exagerado me incomoda um pouco. Algumas personagens tem tanto peito que chega a ser desconfortável: não sei como elas conseguem andar! Ainda não li o mangá, então não sei se as mulheres são tão exageradas assim, mas o character design do estúdio Xebec não fez com que alguma me chamasse atenção. A mais aceitável ao meu ver é a Mikoto, assistente do personagem principal, Arashi, esse um típico personagem badass com um passado trágico.

Mikoto foi a única personagem feminina que conseguiu chamar minha atenção.
Mikoto foi a única personagem feminina que conseguiu chamar minha atenção.

Outro ponto negativo é a censura. Não a censura do ecchi em si, essa já é padrão: cenas de banho com névoa e escurecer a imagem em algumas cenas mais fortes. Eu falo da quase não existência de sangue. Triage X é um anime repleto de violência, tiros pra todo lado, pessoas sendo cortadas… Mas mesmo assim o sangue quase não é visto. Agora, se focarmos nos pontos positivos de Triage X, veremos que trilha sonora é muito boa, com o destaque total para a abertura, com uma pegada mais rock que se encaixou perfeitamente no que o anime tem a oferecer. Já a ending eu achei fraquinha, tanto na animação quanto na música em si. As cenas de ação são bem animadas e empolgam o espectador em certos momentos, mas não espere nada que corresponda a realidade: cortar um carro ao meio com uma katana e entrar no quarto andar de um prédio com uma moto pela janela, por exemplo.

Moça, acho melhor você procurar um médico.
Moça, acho melhor você procurar um médico.

Mesmo com apenas 10 episódios, o que me pareceu mais uma tentativa de dar uma alavancada a mais no mangá, Triage X entra na lista daquelas obras feitas pra um público alvo bem específico. Ainda não sei se vou chegar a acompanhar tudo, mesmo sabendo que não se concluirá muita coisa com essa quantidade de episódios. Mas se você curte o trabalho do Shouji Sato e quiser dar uma conferida, fica a dica. Apesar de saber o que o mangá deve ser bem mais completo.

Trailer do anime: 

E a nota é: 60

Facebook Comments

Roberto

Fanático por Segunda Guerra Mundial, amante de cultura japonesa e viciado em café nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *