Crítica: taiyou no ie “House of the Sun” Um romance sobre os valores da família.

Hoje eu venho aqui realizar uma análise e recomendação do manga shoujo “Taiyou no Ie”. Um manga que eu li recentemente e me apaixonei!Li os 13 volumes em apenas um dia e meio. Mais um shoujo de aquecer o coração.

Nele eu amo tudo, a ilustração, envolvimento, carisma dos personagens, principalmente a comédia e o romance fofinho. Recomendo pra quem quiser dar boas risadas e se comover com as histórias dos personagens.

Nome: たいようのいえ / taiyou no ie “House of the Sun”.

taiyou no ie

Tipo: Manga.

Autor (a): Taamo.

Status: 13 volumes Finalizado.

Categorias: Shoujo, romance escolar, comédia, Slice of Life.

Data: Junho de 2010 – Fevereiro de 2014.

Editora: Kodansha.

Sinopse
Mao é uma garota tímida, meio tsundere. Que desde pequena, brincava na casa da família Nakamura, onde se sentia amada pois sua família não a valorizava. Hiro, o irmão mais velho dos Nakamuras, a chamava de Magyo pois era kawaii a sua expressão irritada ao corrigí-lo. Sempre foi responsável e determinado. Depois da morte de seus pais em um acidente de transito, seus irmãos foram morar com outros parentes e ele decidiu permaneceu na casa de seus pais. Ao mesmo tempo a família de Mao chega ao fim, pois o seu pai, depois de descobrir a traiçao da sua mulher, decide se divorciar e futuramente arruma um novo casamento. O manga retrata a protagonista Mao, com 16 anos de idade, já Hiro com 23 anos, atualmente trabalhando em seu emprego. Um certo dia, Mao estava se sentindo muito sozinha, saiu de casa para comer algo, e Hiro a encontra perto do templo. E então decide levá-la a um restaurante, logo após convidando-a para morar com ele ainda com vergonha, Mao acaba aceitando e a partir daí, vão vir acontecimentos fofos, tristes, engraçados, e com aquele frio na barriga que todo shoujo dá.

Análise

Taiyou no Ie, foca a sua historia na importância dos valor familiares e no que isso afeta as pessoas. Mao procurava em Hiro a família em que ela nunca teve e Hiro buscava em Mao consolo pela família que perdeu. No inicio quando Mao, começa a morar com Hiro a dinâmica que ocorre com o casal é apenas de um servindo de complemento para o vazio que o outro possui. Até esse sentimento crescer e se transformar em um romance.

Quando eu comecei a pesquisar sobre a obra, muitas vezes eu lia que um dos assunto abordados seria o “tabu” entre as idades dos protagonistas. Para mim não existe um grande drama causado por esse fator, ou uma grande comoção dos outros personagens sobre esse relacionalmente. A questão das idades fica envolto apenas para o próprio casal. Como Hiro vê a Mao como uma substituta para a sua família, ele entende o relacionamento deles como fraternal, por outro lado Mao está em busca de uma família que a aceite. Ela se sente atraída por essa nova possibilidade de família e acaba se tornando uma relação romântica, é até ela que diz inicialmente que ama ele, mesmo que depois ela diga que foi uma brincadeira. Mas tenho que dizer que depois de um tempo esse fator da idade é deixado de lado na obra.

Falando agora sobre os outros personagens. O manga não possui uma grande gama de personagens e por isso o foco da historia fica bem centrada no casal principal, eu gostaria de ter visto o desenvolvimento de outros personagens, como o ponto de vista dos parentes que adotaram os irmãos do Hiro, eles aparecem rapidamente na historia, mas não apresenta os sentimentos deles sobre todas as situações.

Radical san é uma personagem, que surge para servir inicialmente como uma segunda opção de romance para Hiro, mas que serve para ser um obstáculo para o relacionamento inevitável dos personagens principais. A mae biologica da Mao aparece apenas no final da obra e serve para ser uma pequena distração da história principal, apenas para ser jogado de lado depois de obter o que ela quer. O irmão do Hiro é, de longe, meu personagem favorito. Cínico, frio e um pouco distante. Enquanto ele é um obstáculo no romance inicialmente, não se pode deixar de apontar para ele, porque ele realmente está tentando fazer algo consigo mesmo em vez de ficar esperando o enredo para movê-lo. Todos os personagens têm um grau de simpatia para eles, embora a variância seja realmente perceptível.

Essa obra não possui um vilão pois ela consegue abordar o ponto de vista de alguns personagens chaves da obra. Inicialmente você pode entender o pai da Mao como o vilão, mas quando é explicado a historia dele com a ex esposa e a dificuldade que ele acaba adquirindo em se relacionar com a filha, fica entendível toda a situação por qual ele passou.

Taiyou no Ie é um manga muito fofo, e tem vários momentos dramáticos que te fazem prender ao manga e querer saber mais e mais da história, o enredo não apela para muitos clichês, mas convenhamos, clichês fazem parte dos shoujos, como triângulo amoroso, amor não correspondido, protagonistas feitos um para o outro e por aí vai.

A ilustração também foi um dos pontos que me fizeram amar essa obra de paixão, os traços simples e aquele jeitinho kawaii demais os personagens também foram muito bem trabalhados, cada um tinha seu carisma e personalidade própria fazendo deles únicos.

Conclusão 

taiyou no ie é uma obra que eu facilmente recomendo para os outros. É um shoujo leve, tem um casal principal, fácil de gostar, possui uma otina comedia e um drama na medida certa. Como comentei ele não se prende aos cliches do gênero, mas possui alguns. Os personagens, são desenhados com traços simples e aquele jeitinho kawaii. A obra é leve, fácil e rápida de ler, os personagens são carismáticos e o final é bem previsível.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *